sexta-feira, 5 de março de 2010

Agradecendo...


Certa vez, um primo (Denisson) ao ver uma foto minha encostada em um piano comentou: Letras e música, a combinação perfeita! Eu, amante das letras e apaixonada por música não tenho outra opinião a não ser concordar. E, portanto, me valerei dessa combinação para poder dedicar-lhes algumas palavras.

E pra começar, a música que escolhi para receber o meu diploma: Caminhos do Coração de Gonzaguinha. Ela diz o seguinte:

Há muito tempo que eu saí de casa
Há muito tempo que eu caí na estrada
Há muito tempo que eu estou na vida
Foi assim que eu quis, e assim eu sou feliz

Como bem nos diz o Pe. Fábio de Melo “Partir é experiência inevitável de sofrer ausências. E nisso mora o encanto da viagem. Viajar é descobrir o mundo que não temos. É o tempo de sofrer a ausência que nos ajuda a mensurar o valor do mundo que nos pertence. A partida nos abre os olhos para o que deixamos. A distância nos permite mensurar os espaços deixados. Por isso, partidas e chegadas são instrumentos que nos indicam quem somos, o que amamos e o que é essencial para que a gente continue sendo.” Eu tenho um amigo (Luis) que sempre que me ouve dizer que venho pra São Sebastião, ele pergunta: O que é que tem nessa cidade? Essa cidade, bastião para os íntimos, tem tudo e todos que amo! Minha família, bons amigos (os brothers) e coisas simples da vida...

E nessa caminhada, entre idas e vindas...

Eu aprendi que se depende sempre
De tanta, muita, diferente gente
(E) que Toda pessoa sempre é as marcas
Das lições diárias de outras tantas pessoas

E são a essas pessoas que agora eu quero dedicar algumas palavras. Aos pilares que me sustentaram e me sustentam nessa caminhada.

Ao meu bom Deus que tantas vezes se revelou nas palavras de um amigo. E numa dessas vezes, recebi uma mensagem que me guiou e me fortaleceu em muitos momentos. Dizia o seguinte: “Quando o medo me invadir, Ó Deus Altíssimo, é em Vós que ponho minha inteira confiança”. Salmo 55(56)

A minha eterna gratidão àqueles que em mim depositaram sua confiança, lançando-me aos desafios da vida. Consolando-me quando foi preciso, mas também de mim se afastando para que eu pudesse crescer. Pai, mãe...

“E tudo que eu levar
Será tudo que vocês me ensinaram
Muita garra pra lutar, integridade
Que eu só devo ao seu amor

E tudo que eu ganhar
Terá sempre o seu carinho, a sua mão
Será sempre fruto desse corajoso
E enorme coração

E falando em família, eu sempre soube que “os melhores amigos eram aqueles estavam em casa esperando por mim (...) e que em todos os momentos eles estavam por perto dispostos a me “acolher e me amparar”. De fato, não há nada como um lar... vô, vò, primos tias, tios... “Direi apenas obrigado, e sei que entenderás!!”

E o que falar àqueles que inicialmente me acompanharam nessa viagem? O que dizer, então, daquele que me ensinou a sempre buscar o lado bom das coisas que acontecem na vida, mesmo que, por exemplo, uma garrafa de 20 litros de água mineral estoure na cozinha de sua casa e você fique toda molhada. Afinal, segundo ele, não é todo dia que se tem a oportunidade de lavar a cozinha e a sala com água mineral, a não ser em Dias D’ávila... E aí brother? Valeu viu nego, Te amo!!! E os outros dois?Aninha e Rick, mais que primos, irmãos... Juntos, passamos por tanta coisa...

E minha pequena? Ela também foi junto. Aline, valeu pelas placas de torrada que você me fez queimar ao falar contigo no telefone e por todas as experiências compartilhadas nesse momento em que vivíamos algo totalmente novo...

Pois é... eu tenho a família que Deus me deu, pela qual eu nutro um amor incondicional. Mas, nessa caminhada, me foi dada a graça de poder escolher e ser acolhida por outra família. Primeiro, eu escolhi a irmã e não demorou muito para que junto com ela eu ganhasse outra irmã e uma tia, que, não poucas vezes, teve o carinho e o cuidado típicos de uma mãe para comigo. Mai, encontramos a sintonia e o momento perfeito: o silêncio, o qual se tornou sinônimo de compreensão, sintonia e comunhão. Nandinha, minha tia Lurdes, obrigada por tudo!

E Voltando aos caminhos do coração...

É tão bonito quando a gente entende
Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá
E é tão bonito quando a gente sente
Que nunca está sozinho por mais que pense estar

Pois é... Embora teoricamente estivesse só, já que meus companheiros de apartamento aos poucos foram me abandonando, sozinha mesmo eu só estava quando queria... A companhia dos amigos foi indispensável para tornar a saudade de casa e a distância da família mais amena. Lou, Mau, Tp, Lú, Adeildo, Cari. Obrigada sempre! Na casa de Mai, então, volta e meia eu acampava lá final de semana...

E os meus cunhados, onde estão? No coração, só ele pode explicar essa relação, afinal foi uma escolha mútua! Esses rapazes valem ouro!! Obrigada, meninos!

Amigos SB, nessa brincadeira já são oito anos de amizade! Oito anos compartilhando alegrias e tristezas. Os momentos com vocês sempre pedem bis!

E vocês, Meus Amigos da faculdade? Moni e Cássia, parabéns também pela conquista; Dan e Lígia, a hora de vocês está perto... ; Fhau e Josy, amigas para todas as horas... E mais uma vez Fábio de Melo me traz as palavras exatas: Como transpor esta distância entre o que sei, porque senti, para o que ainda não sei dizer do que já senti? Mesmo não sabendo descrever, pois me faltam as palavras para expressar momentos tão singulares, foi muito bom conviver com vocês e eu mais uma vez repito as sábias palavras de Adélia Prado: Aquilo que a memória amou, fica eterno.

Meus agradecimentos também a Silvio. Aos meninos da música, Anderson e Érica! À minha equipe de Liturgia, meninas obrigada!! / Ao padre André pela disposição de vir aqui celebrar esse momento.

À toda equipe da Pinto comunicação e produção de eventos , em especial, a Tia Gildinha e Tia Val.

Aos brothers, que ajudaram também em muita coisa. Ao tio da arte, à Pitty!

É isso gente... E eu não paro por aqui não, continuo na caminhada, pisando firme nas linhas que estão nas palmas das mãos e indo à vida, nos caminhos onde bate, bem mais forte o coração!

9 comentários:

Dani disse...

A pedidos, aí está o texto lido no final de semana passado ao final da missa...

helena disse...

faz um bom tempo que não paro prá ler o blog da dani..... perdi muita coisa bonita que espero recuperar!
e que beleza este agradecimento. deixa o coração mais leve de quem lê.

Paulo Mauricio disse...

UAL!!!!!!!!!!!
Muitíssimo obrigado por lembrar da minha humilde pessoa, vc sabe q tbm mora no meu coração, e quando eu crescer quero escrever assim...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Denison disse...

Entrei no fim do processo e ainda tive direito a ficar de "cara" no texto de agradecimento, isso que é honra(toda minha)! rsrsrs E como sempre, um espetáculo partilhar desses "fragmentos de você" aqui no blog, um dia ainda encho um pote de ouro!

Maiara Bonfim disse...

Lindo, lindo!

Vc merece ir muito longe!

beijo

Ps.: Me fez chorar, hein?! Isso é vingança?

rsrrsrs

Tb te amo!

Louise Cardeal disse...

Uma das coisas mais lindas que vc já escreveu, sem dúvida.

Deve ser muito bom mesmo essa sensção de dever cumprido, mas calma lá que ainda tem monticoisa pra cumprir, hein?!

Nesse 'meu caso' Eu é quem te agradeço,por me acolher e me divertir tantas vezes.

Vc merece todo o sucesso do mundo!

Amiga avulsa, a única! hahah!

Maytê disse...

poxa, amiga!
vc me fez chorar...
borrou toda a maquiagem...
tão feliz por ter vc....

AMPLO disse...

Muito massa Dani!!!
Você "Brocou" com esse texto, reflexo de sua cabeça/coração.
Parabéns.

lígia disse...

Esse texto é covardia rsrsrs ... fala tanta coisa.. me encontro nele em várias partes ...